• Farmacologia Informa

Uso de corticoides durante a pandemia de COVID-19

Grupo Farmacologia Informa


Muitos tratamentos farmacológicos têm sido propostos para o tratamento da COVID-19, causada pelo novo coronavírus Sars-CoV-2. A infecção por este vírus está associada a um quadro inflamatório intenso e por isso uma das possibilidades de tratamento inclui a administração de corticoides (1), que são fármacos utilizados principalmente como anti-inflamatórios (reduzem a inflamação) e imunossupressores (reduzem a ativação do sistema de desefa quando sua hiperativação se torna prejudicial).

No entanto, o uso de corticoides no tratamento da COVID-19 é bastante controverso. Nasim e colaboradores apontam que o uso desses fármacos na COVID-19 pode ser uma “faca de dois gumes” (2), pois embora os corticoides reduzam a inflamação pulmonar, também inibem a resposta do sistema imunológico contra a infecção viral, podendo prolongar a permanência do vírus no organismo. Além disso, podem ocorrer complicações relacionadas ao uso de corticoides, como infecções secundárias fúngicas e bacterianas.

Até o momento, as discussões sobre os benefícios e riscos da utilização de corticoides na COVID-19 são baseadas em estudos clínicos e diretrizes para o uso destes fármacos em condições como pneumonia adquirida na comunidade (3,4), sepse (conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção) (5), síndrome respiratória aguda grave (SARS) (6,7,8), síndrome respiratória do oriente médio (MERS-CoV) (9,10) e infecção por influenza A (H1N1) (11). Ressalta-se que de acordo com a literatura científica, o uso de corticoides não foi associado a melhora clínica em todas essas condições.

Resultados de estudos observacionais mostram tanto que não houve benefício em pacientes com síndrome respiratória aguda associada à COVID-19 (12), assim como não houve efeito benéfico e redução do risco de morte (13). Uma revisão sistemática sobre o uso de corticoides na pneumonia por COVID-19 mostrou que a prescrição foi maior nos pacientes com condições severas, sendo relacionada com alta taxa de infecção bacteriana secundária, maior tempo de internação e maior mortalidade (14). Alguns trabalhos mostram que os corticoides foram utilizados no tratamento de pacientes graves com COVID-19 na China (15,16) e um consenso de especialistas do país indicou o uso de corticoides em determinados casos, como paciente em estado crítico com pneumonia (17). O Instituto Nacional para Doenças Infecciosas L. Spallanzani na Itália recomendou o uso de corticoides como terapia de suporte na COVID-19 para pacientes com síndrome respiratória aguda grave (18).

Outro fator importante a ser levado em consideração são os indivíduos em tratamento contínuo com corticoides para terapia anti-inflamatória e/ou imunossupressora e portadores de insuficiência suprarrenal. Apesar destes indivíduos serem incluídos no grupo de risco de acordo com o Ministério da Saúde (19), não devem suspender o tratamento com corticosteroide de forma abrupta. O médico deve avaliar a possibilidade e a forma adequada de redução da dose do corticosteroide (20,21). A Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia alerta que pacientes com rinite alérgica não devem interromper o uso de corticosteroide tópico nasal (22).

As limitações metodológicas dos estudos disponíveis e a ausência de estudos controlados randomizados dificultam o estabelecimento de recomendações definitivas sobre o uso de corticoides para o tratamento da COVID-19. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso de corticoides no tratamento da pneumonia viral não deve ser adotado fora de estudos clínicos (23). O uso rotineiro de corticoides no tratamento de COVID-19 deve ser evitado, exceto quando são indicados por outras razões, como exacerbação de asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) (23). O Ministério da Saúde segue a mesma recomendação da OMS (19).

Na data de hoje existem 33 estudos clínicos de intervenção com corticoides cadastrados na plataforma clinical trials.gov (25) para uso em COVID-19. Dois destes estudos foram finalizados recentemente, mas os resultados ainda não foram publicados. É importante frizar que, até o momento, não há vacina nem medicamento específico para prevenir ou tratar a COVID-19.


Referências

1- Zhang W et al. The Use of anti-inflammatory drugs in the treatment of people with severe coronavirus disease 2019 (COVID-19): The perspectives of clinical immunologists from China. Clin Immunol 2020. 214:108393. doi: 10.1016/j.clim.2020.108393.

2- Nasim S et al. Corticosteroid use for 2019-nCoV infection: A double-edged sword. Infect Control Hosp Epidemiol 2020. 23:1–2.

3- Blum CA et al. Adjunct prednisone therapy for patients with community-acquired pneumonia: A multicentre, double-blind, randomised, placebo-controlled trial. Lancet 2015. 385:1511-8.

4- Torres A et al. Effect of corticosteroids on treatment failure among hospitalized patients with severe community-acquired pneumonia and high inflammatory response: A randomized clinical trial. JAMA 2015. 313:677-86.

5- Lamontagne F et al. Corticosteroid therapy for sepsis: a clinical practice guideline. BMJ 2018. 362:k3284. doi: 10.1136/bmj.k3284.

6- Auyeung TW et al. The use of corticosteroid as treatment in SARS was associated with adverse outcomes: a retrospective cohort study. J Inf Secur 2005. 51:98–102.

7- Yam LY et al. Corticosteroid treatment of severe acute respiratory syndrome in Hong Kong. J Inf Secur 2007. 54:28–39.

8- Chen et al. Treatment of severe acute respiratory syndrome with glucosteroids: the Guangzhou experience. Chest 2006. 129:1441–52.

9- Arabi YM et al. Corticosteroid therapy for critically ill patients with middle east respiratory syndrome. Am J Respir Crit Care Med 2018. 197:757–67.

10- Hui DS. Systemic corticosteroid therapy may delay viral clearance in patients with Middle East respiratory syndrome coronavirus infection. Am J Respir Crit Care Med 2018. 197:700–1.

11- Li H et al. National Influenza A(H1N1)pdm09 Clinical Investigation Group of China: Effect of low-to-moderate-dose corticosteroids on mortality of hospitalized adolescents and adults with influenza A(H1N1)pdm09 viral pneumonia. Influenza Other Respir Viruses 2017. 11:345–54.

12- Zha L et al. Corticosteroid treatment of patients with coronavirus disease 2019 (COVID-19). Med J Aust. 2020. doi: 10.5694/mja2.50577.

13- Wu C et al. Risk factors associated with acute respiratory distress syndrome and death in patients with coronavirus disease 2019 pneumonia in Wuhan, China. JAMA Intern Med. 2020. doi: 10.1001/jamainternmed.2020.0994.

14- Yang Z et al. The effect of corticosteroid treatment on patients with coronavirus infection: a systematic review and meta-analysis. J Infect 2020. pii: S0163-4453(20)30191-2.

15- Wang D et al. Clinical characteristics of 138 hospitalized patients with 2019 novel coronavirus–infected pneumonia in Wuhan, China. JAMA 2020 323:1061–9.

16- Yang X et al. Clinical course and outcomes of critically ill patients with SARS-CoV-2 pneumonia in Wuhan, China: a single-centered, retrospective, observational study. Lancet Respir Med 2020. 8(5):475-81.

17- Shang L et al. On the use of corticosteroids for 2019-nCoV pneumonia. Lancet 2020. 395:683–4.

18- Nicastri E et al. National institute for the infectious diseases “L. Spallanzani”, IRCCS. Recommendations for COVID-19 clinical management. Infect Dis Rep 2020. 12:8543.

19- Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde – SCTIE. Diretrizes para Diagnóstico e Tratamento da Covid-19. Versão 3. 17 de abril de 2020.

20- Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Corticosteroide e a COVID-19. Disponível em: https://www.sbemsp.org.br/para-o-publico/noticias/806-corticosteroide-e-a-covid-19.

21- Nota de Posicionamento da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. 24 de março de 2020. Disponível em: https://sbpt.org.br/portal/wp-content/uploads/2020/02/sbpt-asma-covid-24-03.pdf.

22- Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. A pandemia COVID-19 e os pacientes com rinite alérgica. 03 de abril de 2020. Disponível em: http://asbai.org.br/wp content/uploads/2020/04/Doc_Rinite_COVID_19_Med.pdf.

23- World Health Organization. Clinical management of severe acute respiratory infection when COVID-19 is suspected. Interim guidance. March 13, 2020. Disponível em: https://www.who.int/publications-detail/clinical-management-of-severe-acute-respiratory-infection-when-novel-coronavirus-(ncov)-infection-is-suspected.

24- https://clinicaltrials.gov Acesso em 22/05/2020.

102 visualizações
 

Para uma melhor experiencia, sugerimos abrir o site no computador.     Se detectar algum erro nos links, por favor nos contacte. 

  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram

siga nas redes sociais

ufrj.jpg
WhatsApp Image 2020-05-26 at 20.47.53.jp
campus_UFRJ_macae_Aloisio_Teixeira.png

Visitas