• Farmacologia Informa

Arbidol® (umifenovir) um antiviral em estudo para tratamento da COVID-19

Equipe Farmacologia Informa

Desde dezembro de 2019, a COVID-19, doença causada pelo coronavírus-2 da síndrome respiratória aguda (SARS-CoV-2), se espalhou rapidamente para milhares de pessoas ao redor do mundo. Em 11 de março de 2020 a Organização Mundial de Saúde (OMS) caracterizou a COVID-19 como uma pandemia e pediu aceleração nas pesquisas sobre diagnóstico, medicamentos e vacinas (1,2).

Diferentes fármacos antivirais estão em estudo para avaliação da atividade contra o SARS-CoV-2 e da efetividade clínica no combate à doença, um deles chama-se umifenovir (3,4). O umifenovir (Arbidol®) é um fármaco antiviral de uso oral com amplo espectro de ação (eficaz contra vários tipos de vírus) (5), incluindo os vírus influenza A e B, sendo capaz de se ligar a hemaglutinina viral (proteína da superfície viral que permite a fusão com a célula do hospedeiro, favorecendo a entrada do vírus) impedindo assim a infecção viral (5). O umifenovir e outros medicamentos anti-influenza foram incluídos nos protocolos clínicos de COVID-19 na China (6). No entanto, nada se sabia sobre sua atividade inibitória do SARS-CoV-2. Posteriormente, Xi Wang e colaboradores identificaram que, em ensaios com cultura de células Vero (uma linhagem celular proveniente de rim de macaco verde africano), o umifenovir era capaz de inibir a infecção pelo SARS-CoV-2 (7).

Em um estudo clínico preliminar retrospectivo com pacientes diagnosticados com COVID-19, o umifenovir não reduziu a mortalidade e nem a carga viral (8). Outro estudo clínico comparou pacientes hospitalizados com COVID-19 que receberam umifenovir associado a terapia adjuvante (42 pacientes – grupo teste) com outro grupo de pacientes que recebeu apenas a terapia adjuvante (20 pacientes – grupo controle). A terapia adjuvante era empregada para tratar os sintomas e complicações da doença com uso de analgésicos, antibióticos, eucaliptol chinês, antiinflamatórios etc. A associação umifenovir + terapia adjuvante encurtou o tempo de duração da doença, com alívio significativo de sintomas como febre e tosse (9). Um estudo retrospectivo com 146 pacientes avaliou pacientes que utilizaram o umifenovir associado ao interferon-α2b (IFN - α2b), uma preparação recombinante de interferon-α (medicamento com atividade antiviral de amplo espectro de ação). Não houve melhora significativa em relação à redução da carga viral e à necessidade de hospitalização quando comparado ao grupo que recebeu apenas IFN- α2b (monoterapia). Além disso, a combinação piorou o quadro de pneumonia. O estudo sugere que a associação pode ter algum benefício apenas na redução da inflamação no fígado em pacientes com infecção moderada por COVID-19 sem necessidade de ventilação mecânica (10).

Estudos clínicos comparativos entre o umifenovir e outro antiviral com atividade contra o SARS-CoV-2, o lopinavir/ritonavir (LPV/r), foram realizados. O primeiro avaliou a utilização da associação umifenovir + LPV/r em 16 pacientes, comparada à utilização de LPV/r sozinho (17 pacientes). Após 14 dias de tratamento, não houve detecção de SARS-CoV-2 em 15 (94%) pacientes que receberam a combinação (umifenovir + LPV/r), contra 9 (52,9%) pacientes que receberam apenas LPV/r. Além disso, os pacientes que receberam a combinação apresentaram melhora nos exames de imagem de tórax (11). Outro estudo clínico comparou umifenovir (16 pacientes) e LPV/r (34 pacientes), ambos em monoterapia, e concluiu que o umifenovir possui eficácia clínica superior ao LPV/r. Após 14 dias de tratamento, os pacientes que receberam umifenovir não apresentaram carga viral detectada e menor contagem de neutrófilos e proteína C reativa (ambos são parâmetros indicadores de inflamação) (12).

Uma revisão sistemática avaliou 12 estudos com um total de 1052 pacientes com COVID-19 tratados com umifenovir. Comparado aos grupos controle, após 14 dias de tratamento houve aumento da taxa de negativação da carga viral. Por outro lado, após 7 dias de tratamento não houve associação com a taxa de negativação da carga viral, encurtamento no tempo de duração da febre e tosse, tempo de hospitalização e efeitos adversos. O estudo conclui que apesar da boa segurança e tolerabilidade, umifenovir apresenta eficácia limitada para uso em pacientes (13).

Todos os estudos clínicos com utilização do umifenovir finalizados e publicados até a presente data possuem uma limitação comum quanto ao baixo número de pacientes envolvidos. Diante disso, mais estudos controlados randomizados e em larga escala precisam ser desenvolvidos a fim de estabelecer a segurança e eficácia do umifenovir no tratamento da COVID-19. Umifenovir não está disponível para comercialização no Brasil. Existem dois estudos clínicos em andamento no mundo que incluem o umifenovir como terapia para COVID-19 (14).

Referências

1. Zhu N et al. A novel coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. N Engl J Med 20;382:727e33 (2020).

2. World Health Organization. Coronavirus disease (COVID-19) pandemic [Internet]. 2020 [citado 29 de junho de 2020]. Available at: https://www.euro.who.int/en/health-topics/health-emergencies/coronavirus-covid-19/novel-coronavirus-2019-ncov

3. Chen, N. et al. Epidemiological and clinical characteristics of 99 cases of 2019 novel coronavirus pneumonia in Wuhan, China: a descriptive study. Lancet 395, 507–513 (2020).

4. Huang, C. et al. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Lancet 395, 497–506 (2020)

5. Pan D et al. Pharmacokinetics, Metabolism, and Excretion of the Antiviral Drug Arbidol in Humans. Antimicrobial Agents and Chemotherapy 57(4): 1743–1755 (2013).

6. National Health Commission & State Administration of Traditional Chinese Medicine on March 3, 2020

7. Wang et al. The anti-influenza virus drug, arbidol is an efficient inhibitor of SARS-CoV-2 in vitro. Cell Discovery 6:28 (2020).

8. Wang Z et al R. Clinical Features of 69 Cases with Coronavirus Disease 2019 in Wuhan, China. Clin. Infect. Dis. ciaa272 (2020).

9. Wenyu C et al. A study on clinical effect of Arbidol combined with adjuvant therapy on COVID-19. J Med Virol. 10.1002/jmv.26142 (2020).

10. Ping Xu et al. Arbidol/IFN-a2b therapy for patients with corona virus disease 2019: a retrospective multicenter cohort study. Microbes and Infection 22 (2020) 200e205.

11. Lisi Deng et al. Arbidol combined with LPV/r versus LPV/r alone against Corona VirusDisease 2019: A retrospective cohort study. Journal of Infection (DOI::

12. Zhen Z et al. Arbidol monotherapy is superior to lopinavir/ritonavir in treating COVID-19. Journal of Infection 81 (2020) e21–e23.

13. Dong H. el at. Efficacy and safety of umifenovir for coronavirus disease 2019 (COVID-19): A systematic review and meta-analysis. J Med Virol. doi: 10.1002/jmv.26256 (2020).

14. https://clinicaltrials.gov/ct2/show/NCT04260594?cond=arbidol+and+covid-19&draw=2&rank=2 (acesso em 29.06.2020).

42 visualizações
 

Para uma melhor experiencia, sugerimos abrir o site no computador.     Se detectar algum erro nos links, por favor nos contacte. 

  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram

siga nas redes sociais

ufrj.jpg
WhatsApp Image 2020-05-26 at 20.47.53.jp
campus_UFRJ_macae_Aloisio_Teixeira.png

Visitas